Artigo

Passe Único, serviço público essencial

Passe Único, serviço público essencial

Por José Manuel Ribeiro
Presidente da Câmara de Valongo

 

Para além das suas virtudes sociais e económicas, o Passe Único tem um valor simbólico extraordinário. Constitui a concretização, rápida e em larga escala, de um compromisso internacional de Portugal – o Acordo de Paris para reduzir a emissão de gases de estufa a partir de 2020, conter o aquecimento global, manter a viabilidade do planeta e assegurar uma vida sustentável às gerações futuras.

É por isso notável que um contributo tão relevante para a descarbonização tenha a sua génese na cimeira de 2018 dos 35 autarcas metropolitanos do Porto e Lisboa – tendo a iniciativa colhido de imediato o apoio do Governo. Na prática, trata-se de uma medida de impacto nacional concretizada no terreno pelo Poder Local, em parceria com as empresas de transportes públicos e com o forte envolvimento financeiro do Governo. Uma redução tarifária mensal significativa, que chegará a todo o país, pode beneficiar diretamente 85% dos portugueses.

Indiretamente – em termos ambientais e em termos económicos – o Passe Único irá beneficiar todos, uma vez que o ar que respiramos é o mesmo e as poupanças com combustível e com infraestruturas que será feita nas áreas metropolitanas permitirá libertar mais dinheiro do Estado para o interior do país. Mas esta medida só levará as pessoas a trocar o veículo próprio pelo transporte público se este, de facto, for acarinhado no acesso aos centros das cidades, se a rede de transportes públicos melhorar na frequência e na cobertura do território e se houver um real aumento da qualidade da oferta aos passageiros.

O caráter nacional desta medida faz com que todo o seu desenvolvimento futuro – que dará muito trabalho, exigirá muito investimento, estudo, inovação e competência por parte de todos os atores – tenha no Estado central o seu principal financiador, pois é o Governo que recolhe o essencial da fiscalidade de quem gera a poluição: por isso mesmo, deve ser o Governo a financiar o essencial das medidas para a combater!

É portanto indispensável avançar com a inclusão dos Serviços de Transporte Público na Lei dos Serviços Públicos Essenciais. Será isso que tornará os ganhos do Passe Único irreversíveis.

 

Publicado no Jornal de Notícias, abril de 2019

 

90 Visualizações