Obras na Marginal de Vila do Conde avançam graças à intervenção de Vítor Costa

O concurso público foi lançado pelo Ministério do Ambiente e da Ação Climática, através da Agência Portuguesa do Ambiente, depois de o presidente da Concelhia e candidato do PS ter chamado a atenção para a erosão costeira da marginal atlântica de Vila do Conde junto do Governo e dos deputados eleitos pelo distrito do Porto.

O Ministério do Ambiente e da Ação Climática, através da APA – Agência Portuguesa do Ambiente, abriu um concurso público para a empreitada de proteção e reabilitação do sistema costeiro da marginal atlântica de Vila do Conde.

O aviso de abertura do concurso foi publicado pela APA, na passada terça-feira, 13 de abril, pelo preço base de 994 mil euros com um prazo de execução de 300 dias.

O candidato do Partido Socialista e presidente da Comissão Política Concelhia de Vila do Conde, Vítor Costa, chamou a atenção para o problema a 12 de outubro de 2020, numa visita à marginal de Vila do Conde onde esteve acompanhado de uma delegação de deputados do Grupo Parlamentar do PS eleitos pelo distrito do Porto. Na visita participaram os deputados Joana Lima, Isabel Oneto, Carlos Brás e Hugo Carvalho, bem como, os deputados à Assembleia Municipal de Vila do Conde, João Fonseca e Telmo Laranja Pontes Ramos, além do presidente da Junta de Freguesia de Vila do Conde, Isaac Braga.

Os deputados do PS questionaram o Governo sobre a necessidade de obras de estabilização da orla costeira em Vila do Conde. Na Assembleia da República, as perguntas foram dirigidas ao Ministério do Mar e ao Ministério do Ambiente e da Ação Climática.

Na altura, em declarações aos jornalistas, Vítor Costa defendeu que “a Câmara de Vila do Conde já devia ter agido há pelo menos dois anos quando este problema se começou a colocar de forma acentuada”, já que “as consequências da erosão costeira merecem uma resposta firme por parte da autarquia”. Segundo Vítor Costa, “o problema foi agravado em 2019 nas duas tempestades desse ano. A Câmara Municipal teria que ter feito bastante mais do que promover reuniões e enviar ofícios às entidades competentes. Uma autarquia tem que atuar, tem que ter coragem na sua atuação e tem que ser capaz de pressionar as entidades competentes”.

Face à inação da autarquia, a intervenção do Partido Socialista na resolução deste problema foi fundamental, estando agora oficializada a empreitada de reabilitação do sistema costeiro entre o troço praia do Mestre e a praia da Olinda Norte com a “consolidação da estrutura de defesa longitudinal aderente da marginal atlântica de Vila do Conde”.

459 Visualizações