Artigo

Rui Moreira recua e decide entregar chaves do Centro de Saúde de Ramalde após visita do PS  

567 Visualizações

Rui Moreira recua e decide entregar chaves do Centro de Saúde de Ramalde após visita do PS  

 

Os vereadores do Partido Socialista na Câmara Municipal do Porto visitaram na tarde desta segunda-feira, 03 de dezembro, o Centro de Saúde de Ramalde, equipamento que, apesar de pronto há três meses, Rui Moreira recusava entregar à Administração Regional de Saúde do Norte (ARSN) para que esta o pudesse abrir à população.

Na última reunião de Executivo, o PS defendeu que a Câmara, sem deixar de exigir ao Governo a entrega do terreno que lhe fora prometido, devia entregar à ARSN o equipamento já concluído, mas Rui Moreira não cedeu e chegou mesmo a condicionar uma decisão à resposta a uma carta que enviou à Ministra da Saúde, deixando assim que a população continuasse à espera.

Após o anúncio da visita do PS ao Centro de Saúde, a Câmara do Porto fez saber que vai entregar, “ainda esta semana”, as chaves do novo equipamento de Ramalde à ARSN.

Congratulando-se com a decisão de Rui Moreira, o vereador socialista Manuel Pizarro sublinhou que teria visitado mais cedo o Centro de Saúde de Ramalde se soubesse que “bastava anunciar” a sua ida para que a Câmara desbloqueasse a entrega do equipamento ao Estado.

Para Manuel Pizarro, não se pode compreender que Rui Moreira estivesse “à espera de uma cartinha da Ministra da saúde” enquanto “milhares e milhares de pessoas da freguesia de Ramalde tenham que “esperar para utilizar um equipamento de interesse público”.

Apesar de considerar que a câmara “têm razão” quando exige ao Governo a entrega do terreno prometido em troca da construção deste centro de saúde, o socialista defende que isso nada tem a ver com a utilização do equipamento. “Não é pelo centro de saúde estar fechado que se resolve o problema”, sublinhou.

O também presidente da Federação Distrital do Porto do PS espera por isso que o “interesse público seja valorizado” e que o novo Centro de Saúde de Ramalde possa abrir portas “o mais depressa possível”.

“A nossa expectativa é que ele possa abrir o mais depressa possível, até porque não nos podemos esquecer destas semanas, destes meses em que ele esteve fechado escusadamente”, afirmou.

Em causa está um conflito entre a autarquia portuense e o Governo, motivado pelo atraso na entrega de um terreno prometido à Câmara do Porto, em troca da nova unidade de saúde.

Com a demora na entrega do terreno, Rui Moreira recusou-se, durante os últimos três meses, a permitir que o novo centro de saúde, que tem capacidade para prestar cuidados a 15 mil utentes, abrisse as portas à população.

Recorde-se que o novo Centro de Saúde de Ramalde foi construído pelo Município ao abrigo de um acordo assinado, no anterior mandato autárquico, por Manuel Pizarro, vereador socialista que à data detinha o pelouro da Habitação e Ação Social.