Mário Mourão será candidato a Secretário-Geral da UGT

Presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Setor Financeiro de Portugal (SBN) e dirigente do PS foi eleito este sábado para a presidência da Tendência Sindical Socialista da UGT e será o candidato a secretário-geral da central sindical em 2022.

Mário Mourão foi eleito este sábado presidente da Tendência Sindical Socialista (TSS) da União Geral de Trabalhadores (UGT) e será o candidato a secretário-geral da UGT, a eleger no XIV Congresso da central sindical, previsto para abril de 2022.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Setor Financeiro de Portugal (SBN) e dirigente do PS ganhou a corrida a José Abraão, secretário-geral do Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública (Sintap) e da Federação Sindical da Administração Pública (Fesap), que liderava a outra candidatura.

Mário Mourão defende a importância da “construção de pontes para o diálogo e a concertação” entre a tendência sindical socialista e o PS, nomeadamente no que se refere às leis do trabalho. O novo presidente da TSS da UGT está decidido a “retomar a relação entre as organizações, no respeito dos princípios e da autonomia de cada uma delas”.

Mário Mourão, que integra a Comissão Nacional do PS e a Comissão de Fiscalização da Federação Distrital do Porto, e que já assumiu vários outros cargos no Partido, irá agora iniciar “um trabalho de aproximação e de respeito entre as duas organizações, para que o PS acolha as sugestões dos seus militantes sindicalistas e para que a tendência também perceba algumas das políticas e posições que o PS tem” na Assembleia da República e no Governo.

 “A UGT tem de falar com o Governo, com os parceiros, com o mundo empresarial, com outras entidades, e para isso é importante ter portas abertas, porque a todos os níveis nós podermos fazer chegar sugestões relativamente a muitas matérias que afetam os direitos dos trabalhadores”, afirma Mário Mourão.

96 Visualizações