José Luís Carneiro: O balanço da primeira metade da legislatura

  1. O que foi para si mais importante nesta primeira metade do mandato?

Nesta primeira metade da legislatura, o combate à pandemia e a recuperação económica e social do país ocupou-nos a todos. O governo, com a ajuda dos portugueses, conseguiu debelar a pandemia. Hoje estamos com praticamente 85% da população vacinada e a retomar progressivamente a vida antes da covid19. No entanto, os seus efeitos ainda irão perdurar durante mais tempo na vida dos portugueses, não só na economia e na sociedade, como também na saúde mental. O nosso papel é continuar a contribuir para que esses efeitos sejam atenuados e para tal irá contribuir a aplicação do Plano de Recuperação e Resiliência. Neste período tivemos também eleições presidenciais e autárquicas, demonstrando que a vitalidade democrática continua a dar mostras, apesar dos constrangimentos provocados pela covid19.

2. Quer destacar e explicar alguns dos assuntos em que esteve pessoalmente mais envolvido?

Para além do combate à pandemia, dou como exemplo o Projeto de Resolução, de que sou primeiro subscritor, que teve como objetivo conceder honras de Panteão Nacional a Eça de Queiroz. Uma proposta justa que visa homenagear e a perpetuar a memória dos cidadãos portugueses que, entre outros feitos patrióticos, se tenham distinguido, nomeadamente, na expansão da cultura portuguesa e na criação literária. Saliento ainda a criação do Estatuto dos Antigos Combatentes, na qual participei na Comissão Parlamentar de Defesa, e a recomendação ao governo sobre a necessidade de uma resposta à crise humanitária em Cabo Delgado, Moçambique. Fiz ainda várias intervenções parlamentares em plenário nos debates com o Primeiro-Ministro, nomeadamente no debate dedicado ao Orçamento do Estado.

3. A que dossiers vai dedicar especial atenção nesta segunda metade do mandato?

Como tenho que compatibilizar as minhas responsabilidades enquanto Secretário-Geral Adjunto com as de deputado, procurarei continuar a dar o meu contributo para a boa articulação entre as diferentes estruturas do Partido e a Direção da Bancada Parlamentar, o Grupo dos Parlamentares Europeus e o Governo. Por outro lado, continuarei a participar nos debates de política geral, muito particularmente nos que têm a ver com as grandes opções do Plano e Orçamento, defendendo as posições da direção nacional do PS, e a dar o meu contributo aos trabalhos da Comissão de Defesa Nacional e, ainda, a promover o trabalho do Grupo de Amizade Portugal/Venezuela. E, claro, a manter uma relação de proximidade com os eleitores do nosso distrito.

A intervenção parlamentar destacada pelo deputado José Luís Carneiro:

109 Visualizações