Carla Miranda: O balanço da primeira metade da legislatura

Carla Miranda tem 51 anos, é licenciada em Ciências da Comunicação e detentora do Curso Profissional de Interpretação da Academia Contemporânea do Espetáculo. É Atriz e produtora cultural. Foi vereadora da Câmara Municipal do Porto (2013/2017). É vice-presidente da Comissão de Educação, Ciência, Juventude e Desporto, e integra a Comissão de Negócios Estrangeiros e Comunidades Portuguesas e, como suplente, a Comissão de Cultura e Comunicação e a Comissão de Transparência e Estatuto dos Deputados.

1.O que foi para si mais importante nesta primeira metade do mandato?

Confrontados com a pandemia, foi a capacidade de garantir uma rápida reorganização dos trabalhos para promover um foco muito específico no distrito e nas suas problemáticas durante a crise sanitária. Perdeu-se muito trabalho de campo, mas garantiu-se muito esforço na menorização das dificuldades com uma ágil comunicação por meios digitais, fazendo-se um levantamento e perspetivas de soluções para problemas, novos e velhos, que encheram aqueles dias.

2. Quer destacar e explicar alguns dos assuntos em que esteve pessoalmente mais envolvida?

Como vice-presidente da comissão de Educação e Ciência, Juventude e Desporto tenho-me empenhado em monitorizar todas estas áreas no meu distrito. Mas o meu trabalho parlamentar tem estado focado na educação e, por defeito profissional, no ensino artístico especializado, duas áreas que sofreram forte impacto com a crise sanitária. Em diálogo aberto e franco com o Ministério da Educação e com as direções dos agrupamentos foi possível monitorizar e fazer um levantamento bastante preciso dos problemas com que as escolas se depararam em tempo de pandemia e minorar alguns deles. Em nome do Grupo Parlamentar, assumi debates na área da Educação e Ciência. Enquanto membro do Grupo Parlamentar Português de População e Desenvolvimento, que desenvolve iniciativas no âmbito do apoio ao desenvolvimento e cumprimento da Agenda 2030, representei o Grupo Parlamentar na apresentação do “Relatório Situação da População Mundial 2021”, no âmbito da Presidência Portuguesa do Conselho da EU. Além das responsabilidades já referenciadas, tento acompanhar as problemáticas regionais na Comissão de Cultura (Ex. Coliseu do Porto) e os temas que digam respeito à cultura e educação que surjam na Comissão dos Negócios Estrangeiros.

3. A que dossiês vai dedicar especial atenção nesta segunda metade do mandato?

A segunda metade do mandato terá um olhar focado em dois dossiês: o modelo de recrutamento dos professores e as alterações que venham a ser apresentadas pelo grupo de trabalho relativo ao ensino artístico especializado. Uma persistência: a de que o Curso Básico de Teatro venha a ser homologado enquanto área de ensino artístico especializado pelo Ministério da Educação.

A intervenção parlamentar destacada pela deputada Carla Miranda:

95 Visualizações