Artigo

António Costa viaja na Linha do Douro: Investimento na ferrovia continua a ser prioridade

António Costa viaja na Linha do Douro: Investimento na ferrovia continua a ser prioridade

O Secretário-geral do Partido Socialista viajou de comboio na Linha do Douro e afirmou importância do investimento nos transportes públicos e na ferrovia.

O percurso estava traçado: António Costa era esperado no Marco de Canaveses para viajar na Linha do Douro até Caíde em Lousada, antes de continuar a viagem de comboio até Paredes.

O Secretário-Geral do Partido Socialista chegou acompanhado pelo presidente da Federação Distrital do Porto do PS, Manuel Pizarro, e foi recebido na estação de Marco de Canaveses pelos candidatos a deputados socialistas pelo círculo eleitoral do Porto, incluindo o diretor da campanha distrital, Tiago Barbosa Ribeiro, além de autarcas do distrito, como a presidente da autarquia marcuense, Cristina Vieira, e o presidente da Câmara Municipal de Valongo, José Manuel Ribeiro.

Militantes e simpatizantes do PS juntaram-se à receção ao líder do partido no início da viagem na Linha do Douro, cuja eletrificação avançou na última legislatura.

O comboio arrancou às 9h13 em direção em Caíde/Lousada, mas antes parou em Vila Meã, onde entrou uma comitiva socialista de Amarante, liderada pelo presidente da concelhia e candidato a deputado, Hugo Carvalho.

A viagem seguiu até Lousada com saída marcada na estação de Caíde. À espera, o Secretário-geral do PS António Costa tinha o presidente da Câmara Municipal de Lousada, Pedro Machado e a vice-presidente, Cristina Moreira, também candidata a deputada na Assembleia da República. A paragem na estação traduziu-se em mais um ponto de contacto com a população, militantes e simpatizantes socialistas.

A última paragem, em Paredes, culminou numa grande demonstração de apoio a António Costa, que tinha à sua espera uma multidão de apoiantes, o presidente da Câmara Municipal de Paredes, Alexandre Almeida e o líder da Concelhia do PS, José Carlos Barbosa, candidato a deputado.

António Costa salienta “grande investimento nos transportes públicos” e consequente combate às alterações climáticas

Uma das prioridades sinalizadas por António Costa para os próximos quatros anos passa por “continuar a investir na ferrovia, continuar a investir no transporte público, porque, só assim, podemos alcançar esta meta de em 2030 termos uma redução de 40% das emissões de CO2, a partir do setor dos transportes”.

Em declarações aos jornalistas em Paredes, o líder do PS sublinhou que para o país atingir a neutralidade carbónica “não bastam palavras, são essenciais ações concretas, como esta que estamos a fazer no setor dos transportes, que é um dos setores mais responsáveis pelas emissões”.

António Costa recordou os investimentos que o Governo do PS fez relativamente ao transporte ferroviário, durante a atual legislatura: “quadruplicámos o investimento em transporte público, desde logo no grande investimento na ferrovia”.

O Secretário-geral do Partido Socialista sublinhou que também tem sido feito um investimento na qualidade da rede, e “neste caso concreto, na Linha do Douro, já com a eletrificação feita até ao Marco”. No final do ano, acrescentou, arrancará a eletrificação do Marco até à Régua e “está previsto já no Programa Nacional de Infraestruturas, que prossiga a eletrificação até ao Pocinho”. Ao mesmo tempo, sinalizou, foram lançados “vários concursos para a renovação do material” circulante. Para a modernização da ferrovia, António Costa informou que já “está aberto um concurso para a aquisição de novas composições”.

O Secretário-geral do Partido Socialista ainda se referiu ao Passe Único como “como medida essencial para a promoção do transporte público e para a melhoria do rendimento das famílias”. Em Paredes, António Costa afirmou que “por exemplo, nesta linha [do Douro], muitas pessoas poupam quase 100 euros nos custos de transporte para o Porto”.

32 Visualizações