Alberto Costa é o candidato do PS à Câmara Municipal de Santo Tirso

O nome de Alberto Costa foi aprovado por unanimidade. O atual autarca de Santo Tirso não escondeu “a honra” e “o orgulho” pelo expressivo voto de confiança dado pelo partido.

A Comissão Política Concelhia de Santo Tirso do Partido Socialista aprovou por unanimidade o nome de Alberto Costa como candidato à presidência da Câmara Municipal de Santo Tirso nas Eleições Autárquicas de 2021.

Em comunicado, a Comissão Política Concelhia de Santo Tirso revela que a reunião que decorreu a 13 de março se realizou em regime misto, por via digital e presencial, “para garantir o cumprimento dos Estatutos em matéria de escrutínio por voto secreto”. O nome de Alberto Costa foi aprovado “com 100 por cento dos votos”.

No final da reunião da Comissão Política Concelhia, Alberto Costa não escondeu “a honra” e “o orgulho” pelo expressivo voto de confiança dado pelo partido. Para o candidato este “é o maior desafio da minha vida política, mas acredito ter condições para honrar o legado do Partido Socialista e dar o meu contributo em prol do desenvolvimento do Município”.

“Não dissocio o voto de confiança do partido do trabalho que tenho vindo a desenvolver numa dupla dimensão: partidária e municipal”, começou por sublinhar Alberto Costa, depois de conhecidos os resultados do escrutínio que teve lugar no Secretariado Concelhio e na Comissão Política Concelhia.

“Mesmo num momento tão difícil como aquele que estamos a viver”, acrescentou o também líder da Comissão Política Concelhia de Santo Tirso, “demos, no plano municipal, uma resposta à altura das responsabilidades e da capacidade da Câmara Municipal, procurando mitigar os efeitos do impacto social e económico provocado pela pandemia”.

“No plano partidário”, continuou Alberto Costa, “quando lancei a minha candidatura à liderança da Comissão Política Concelhia, assumi o compromisso de dar voz ao partido e de reforçar a representatividade nos órgãos nacionais e distritais, o que foi amplamente conseguido, bem como consolidar a união interna, aspeto que, pese embora os constrangimentos de saúde pública, também tem sido alcançado como se atesta pela votação ocorrida por voto secreto no Secretariado e na Comissão Política Concelhia”.

638 Visualizações