“A Europa Connosco”: A marca da vocação europeísta do PS

A exposição que assinala como ponto alto da campanha para as legislativas de 1976 a Cimeira “A Europa Connosco” presidida por Mário Soares no Palácio de Cristal foi inaugurada no Porto no Dia da Europa e no fim de semana em que a cidade acolheu a Cimeira Social da União Europeia.

A Federação Distrital do Porto do Partido Socialista assinalou o Dia da Europa com a inauguração da exposição “A Europa Connosco: O Partido Socialista e as Primeiras Eleições Legislativas Livres”.

A exposição foi inaugurada no domingo, 9 de maio, pelo eurodeputado e presidente da Federação do PS, Manuel Pizarro, pelo deputado e presidente da Concelhia do Porto do PS, Tiago Barbosa Ribeiro e pela eurodeputada, Isabel Santos.

A mostra, numa iniciativa conjunta do Partido Socialista e da Fundação Mário Soares e Maria Barroso, assinala a Cimeira “A Europa Connosco” presidida por Mário Soares, como ponto alto da campanha para as Eleições Legislativas de 25 de abril de 1976. “A Europa Connosco” juntou no Palácio de Cristal, em março do mesmo ano, os líderes socialistas europeus.

“A ideia de trazermos aqui esta exposição é assinalar os 45 anos de uma grande iniciativa política que marcou a vocação europeísta do PS, inspirada naturalmente em Mário Soares. É uma ocasião muito feliz termos conseguido trazer aqui esta exposição no mesmo fim de semana em que o Porto voltou a estar no centro da construção europeia”, afirmou Manuel Pizarro na inauguração da mostra.

O eurodeputado e presidente da Federação Distrital do Porto do PS considerou “extraordinário que em plena campanha eleitoral para as primeiras eleições legislativas livres a 25 de abril de 1976 e em pleno período de agitação pós-revolucionário, Mário Soares tenha tido a ideia de fazer a maior iniciativa política da campanha eleitoral do PS no Porto, com uma reunião dos líderes socialistas europeus, primeiro no Coliseu e depois com um grande comício no Pavilhão Rosa Mota, então ainda Palácio de Cristal. Tal iniciativa revela a enorme visão do nosso fundador e primeiro líder político”.

Segundo Manuel Pizarro, “esta exposição merece ser visitada e orgulha muito a história do Partido Socialista. Muito do progresso alcançado em Portugal, nestes 47 anos de democracia, foi conseguido graças ao PS. É preciso preservar a memória de uma proximidade especial entre o Partido Socialista e a população portuguesa”.

Já Tiago Barbosa Ribeiro destacou a realização desta “iniciativa simultaneamente política e cultural” no fim de semana em decorreu a Cimeira Social Europeia no Porto e “que nos transformou no coração da Europa”. Para o deputado e presidente da Concelhia do Porto do Partido Socialista, a mostra “A Europa Connosco” serve “sobretudo para lembrar o nome de Mário Soares, que foi inquestionavelmente a principal figura política do século XX. Mas, é mais do que isso. Eu creio que o soarismo é a melhor versão do nosso socialismo”, disse.

“Mário Soares esteve sempre à frente do seu tempo nas opções fundamentais antes do 25 de abril, na oposição ao Estado Novo, na criação do Partido Socialista, um pouco antes de implodir a revolução, para termos um partido organizado para acompanhar esse período mais conturbado da nossa vida política democrática, e sobretudo, quando se tornou o visionário da definição estratégica do rumo europeu para Portugal”, referiu Tiago Barbosa Ribeiro.

Para o deputado e presidente do PS Porto “tudo isto resulta do papel e da grandeza de Mário Soares que, depois do 25 de abril, teve sempre razão nas opções fundamentais que o Partido Socialista seguiu. Na sua última campanha eleitoral às presidenciais, que eu tive o gosto de acompanhar, Mário Soares demonstrou a certeza da sua combatividade e de como viveu a vida política: um socialista, independentemente do resultado, só perde quando desiste de lutar e quando desiste de lutar pelos seus ideais. É este o legado que Mário Soares nos deixou. Temos que estar à altura do seu exemplo, da sua determinação e da sua combatividade nestes tempos tão difíceis que atravessamos”.

A eurodeputada Isabel Santos destacou que a cimeira “A Europa Connosco” foi, de facto, “uma grande iniciativa de Mário Soares. O Manuel Pizarro dizia que nós fomos o partido que teve na sua raiz uma matriz europeísta mais vincada e isso é claro, porque logo no momento da fundação do PS, no seu programa, Mário Soares inscreve que progressivamente faríamos o caminho da adesão. Ainda muito antes do 25 de abril de 1974. A Europa Connosco surge num momento particularmente interessante até ao nível internacional, porque em 1975 tinha sido assinada a ata final de Helsínquia e boa parte das personalidades que estão aqui também estiveram nessa assinatura”.

Isabel Santos salientou que “Soares sabia que era fundamental dizer à população portuguesa que a Europa estava connosco, que o caminho que tínhamos feito em 1974 não tinha recuo e isso implicava, também, estarmos com a Europa”.

A inauguração da exposição no Porto aconteceu no mesmo fim de semana em que a cidade acolheu a Cimeira Social da União Europeia. “Hoje temos todos motivos para celebrar aqui no Porto este momento, porque ontem e antes de ontem a Europa também esteve connosco. Este slogan “A Europa Connosco” devia até ser utilizado ao nível da União Europeia num outro sentido: a Europa com cada um dos cidadãos. Nesta fase, em que temos que recuperar de uma das mais terríveis crises que atravessamos, é fundamental darmos este sinal de que a Europa está connosco, com cada um dos cidadãos”, disse Isabel Santos.

De acordo com a eurodeputada “quem tenta desvalorizar a Cimeira Social Europeia diz que se trata de um conjunto de intenções. Mas, é exatamente com um conjunto de intenções que tudo começa, principalmente ao nível multilateral e ao nível internacional. A União Europeia terá agora um longo caminho para a afirmação deste Pilar Social”.

Manuel Pizarro, por sua vez, defendeu que “em plena pandemia, a presidência portuguesa da União Europeia conseguiu organizar uma cimeira com muito impacto e com tanta repercussão”. O eurodeputado concluiu que “não vale a pena tentarem desvalorizar o que é uma realização extraordinária. Vejam a resposta da Europa a esta crise e vejam a resposta à crise anterior. As diferenças são abissais. Ontem, por unanimidade, o Conselho Europeu Informal no Porto aprovou uma declaração que será sempre uma bandeira do socialismo e da social-democracia europeia que se chama a Declaração do Porto”.

326 Visualizações