António Costa convoca a força do PS para vencer as eleições “mais importantes dos últimos anos”

O Secretário-geral do PS, António Costa, reiterou no Porto que as próximas eleições legislativas serão “as mais importantes que o país teve nos últimos anos”, apelando a uma grande mobilização dos socialistas para que Portugal não desperdice um momento decisivo para responder aos desafios do seu futuro coletivo.

Este domingo na sessão de encerramento do Fórum Nacional ‘Confie no Futuro’, na Alfândega do Porto, António Costa vincou a importância de o país conseguir ter a estabilidade política necessária para aplicar os fundos que chegam da União Europeia.

“Estas são mesmo as eleições mais importantes que o país teve nos últimos anos”, afirmou o Secretário-Geral do PS, dizendo que as próximas gerações “nunca perdoarão se for desperdiçada esta oportunidade”.

“E desperdiçar ou não esta oportunidade está unicamente nas nossas mãos. Por isso, não podemos olhar para os próximos meses como sendo mais um período, ou para as próximas eleições como se fossem mais umas eleições”, referiu António Costa, sublinhando que este é também um momento “politicamente importante”, que merece uma grande mobilização do PS.

Estas eleições “ocorrem num momento decisivo para o país, quando ainda há uma pandemia para combater” e “não se pode perder um segundo para aproveitar a oportunidade extraordinária dada pela União Europeia para investir em mais ciência, melhor saúde, mais e melhor educação, no desenvolvimento do país”, vincou o líder socialista.

Lembrando que a rejeição do Orçamento do Estado para 2022, com os votos do PCP e do BE a juntarem-se aos da direita, veio criar “um problema muito sério ao país”, privando os portugueses do reforço de 750 milhões de euros nos recursos do Serviço Nacional de Saúde, da redução do IRS, ou do aumento extraordinário de pensões, António Costa sublinhou que o país não pode ficar refém de “soluções de remendo”, nem de “soluções provisórias de governo para dois anos”.

“O país precisa mesmo de estabilidade para executar estas políticas ao longo dos próximos quatro anos”, afirmou o líder socialista.

“A nossa ambição é essa, criar condições para que o país possa ter estabilidade nos próximos quatro anos, porque são quatro anos decisivos para nos libertarmos da pandemia, para recuperar dos danos da pandemia, para reconstruir aquilo que a pandemia destruiu e, mais importante do que isso, para usar com toda a energia e determinação os meios que nos são disponibilizados para podermos dar um grande salto em frente”, acrescentou António Costa.

Por isso, reforçou o Secretário-Geral socialista “é fundamental que o PS saiba juntar a si as energias, as forças que existem na sociedade portuguesa”.

O Fórum Nacional ‘Confie no Futuro’, que decorreu este domingo na Alfândega do Porto, contou com três painéis temáticos, que decorreram em simultâneo, dedicados ao crescimento económico e melhoria dos rendimentos, ao combate às desigualdades e reforço do Estado social e ao fortalecimento do Serviço Nacional de Saúde. O debate envolveu figuras destacadas da sociedade civil em cada uma destas áreas. 

Segundo António Costa, os contributos que surgiram desta ampla discussão são muito importantes para o programa que o PS apresentará a 3 de janeiro, tendo em vista as eleições legislativas do dia 30 do mês que vem.

Manuel Pizarro: “Quem confia no Porto pode contar com o Porto para uma grande arrancada da campanha eleitoral”

Na Alfândega do Porto, Manuel Pizarro afirmou que “quem confia no Porto, pode contar com o Porto para uma grande arrancada da campanha eleitoral que o PS necessita, e mais do que isso, que os portugueses e o país necessitam para que o PS consiga uma maioria reforçada que permita uma governação estável e duradoura a favor do país e a favor das pessoas”.

O presidente da Federação Distrital do Porto do Partido Socialista assinalou que “o país vive uma crise que não esperava e que não desejava” e que “a maior parte dos portugueses não queria eleições antecipadas”. “Agora que parece que estamos a vencer a pandemia e estamos a caminhar com passos seguros para a recuperação económica, não era necessário somar uma crise política às dificuldades que temos enfrentado”, declarou Manuel Pizarro.

“É com a democracia que nós vamos vencer esta crise e com o apelo à participação ativa de todas e de todos os portugueses”, porque com o PS “palavra dada será sempre palavra honrada e com o António Costa temos prova disso e razões para acreditar”, referiu o eurodeputado.

Manuel Pizarro afirmou o orgulho no trabalho que o PS fez nos últimos seis anos e garantiu que “vamos para estas eleições com a confiança de que podemos aparecer aos portugueses de cara levantada, mas também para falar do futuro e do muito que ainda temos a fazer para melhorar a vida de cada uma e de cada um dos portugueses”. Segundo o presidente da Federação Distrital do Porto, “com o PS é possível fazer de Portugal um país socialmente mais justo, economicamente mais progressista, um país onde a democracia e a liberdade façam o mesmo sentido para cada uma e para cada um dos portugueses. Este país, para ser construído precisa de uma liderança, e eu estou absolutamente convencido de que a esmagadora maioria dos portugueses acredita que esse líder é o António Costa.”

148 Visualizações