Artigo

Socialistas debatem o património e a Zona Especial de Proteção da Ponte da Arrábida

406 Visualizações

Socialistas debatem o património e a Zona Especial de Proteção da Ponte da Arrábida

A Federação Distrital do Porto do PS promove, já amanhã, quarta-feira 06 de junho, um debate sobre o património e a Zona Especial de Proteção da Ponte da Arrábida.

Sob o mote ‘Arrábida: como defender o património?’ e agendado para as 18h00, a iniciativa decorrerá no Palacete dos Viscondes de Balsemão (Praça Carlos Alberto, 71), no Porto, e contará com a participação do arquiteto e ex-vereador socialista Manuel Correia Fernandes; do engenheiro e professor catedrático Manuel Matos Fernandes, que liderou o processo que conduziu à classificação da Ponte da Arrábida como Monumento Nacional; e do geógrafo Álvaro Domingues.

Recorde-se que, em maio de 2013, o Governo português, com o apoio da Câmara Municipal do Porto, classificou a Ponte da Arrábida como Monumento Nacional, reconhecendo assim o extraordinário valor arquitetónico e paisagístico da emblemática obra de Edgar Cardoso. No entanto, por razões que não estão esclarecidas, não foi estabelecida a Zona Especial de Proteção proposta nessa ocasião. Desde então, a ausência de uma Zona Especial de Proteção motivou o licenciamento de vários projetos que interferem com as escarpas do rio Douro e com a imagem da Ponte da Arrábida.

Com efeito, e numa fase de acentuado crescimento do mercado imobiliário da cidade, os socialistas colocam questões especialmente importantes:

  1. Será que o Governo e a Câmara Municipal do Porto fizeram tudo o que estava ao seu alcance para proteger a Ponte da Arrábida?
  2. Será que se pode aceitar o silêncio em torno da ausência de definição da Zona Especial de Proteção?
  3. Será que estamos a fazer o que devemos para proteger o património do Porto?

Estas são apenas algumas das questões que a Federação Distrital do Porto do PS pretende debater, numa iniciativa que terá moderação da economista e vereadora do PS na Câmara Municipal do Porto, Odete Patrício.

Projetada por Edgar Cardoso e erguida entre 1956 e 1963, a Ponte da Arrábida apresenta-se como obra-prima da engenharia de pontes, sendo assim reconhecida a nível internacional. Foi a segunda ponte de circulação rodoviária destinada a ligar o Porto a Vila Nova de Gaia, respondendo ao aumento de tráfego na cidade ao longo da primeira metade do século XX, constituindo-se também como a primeira grande ponte sobre o rio Douro integralmente concebida, projetada e construída por técnicos e empresas portuguesas, atestando a capacidade dos projetistas e construtores nacionais, e constituindo ainda hoje um dos mais significativos monumentos da engenharia portuguesa do século XX.

Ao valor histórico e técnico-construtivo da Ponte da Arrábida soma-se o seu valor estético, com a harmonia do desenho a constituir uma presença marcante e valorizadora da paisagem do estuário do Douro, dominado por um interessante conjunto de pontes de diversas épocas.

Merecem ainda destaque a função simbólica e identitária da ponte no contexto do Porto modernista, bem como a figura do autor principal, o engenheiro Edgar Cardoso, personalidade de relevo da engenharia mundial e notável projetista de pontes, com obras espalhadas por quatro continentes e reveladoras de grande ousadia, sensibilidade e beleza formal, sendo que a Ponte da Arrábida representa para muitos a sua realização mais emblemática.