Artigo

Humberto Brito: A mudança continua em Paços de Ferreira

141 Visualizações

Humberto Brito: A mudança continua em Paços de Ferreira

Humberto Brito apresentou, no passado dia 29 de junho, a sua recandidatura à Câmara Municipal de Paços de Ferreira para as eleições autárquicas de 01 de outubro.

A cerimónia decorreu no Mercado Municipal, no Parque Urbano de Paços de Ferreira, e contou com sala cheia.

Paulo Sérgio Barbosa, Presidente da Comissão Política do PS Paços de Ferreira e Vice-presidente da Câmara, abriu a sessão de intervenções, começando por afirmar que “o PS acredita que a mudança iniciada há quatro anos é para continuar.”

Coube ainda ao líder da concelhia anunciar, ainda, o candidato a Presidente da Assembleia Municipal pelo PS, Ricardo Pereira, ex-Vereador, membro da Comissão Política Concelhia e atual líder da Assembleia Municipal.

Referindo-se a Humberto Brito, Paulo Sérgio Barbosa reforçou que “os últimos quatro anos de gestão só nos orgulharam. Sabemos que por onde ele passa fica uma marca de mudança”.

“Prometemos, cumprimos. E fomos para além do que prometemos”, recorda o mesmo socialista, apesar da “herança pesada” deixada por 37 anos de gestão social-democrata.

Paulo Sérgio Barbosa lembrou, ainda, as conquistas do executivo que também integra nestes quase quatro anos de mandato: manuais escolares gratuitos até ao 12.º ano; taxa mínima de IMI; rigor e transparência nas contas municipais; redução da dívida municipal em mais de 16 milhões de euros; reparação de vias públicas; dois novos centros escolares e requalificação da EB 2,3 de Freamunde; coesão social; baixar o preço da água; renegociar a dívida para menos de metade com a Águas de Paços de Ferreira; Cartão Municipal Sénior; internacionalização da Capital do Móvel; iluminação LED; requalificação da ETAR de Arreigada; e, ainda, em curso “o maior projeto de regeneração urbana” alguma vez conhecido em Paços de Ferreira.

Já Paulo Ferreira, mandatário da campanha, referindo-se a todas estas conquistas afirma: “tudo isto com uma dívida avassaladora herdada. Infelizmente tudo isto continuará a ser pago por todos nós. Serão precisos mais de 40 anos para que todas as dívidas contraídas no mandato do PSD sejam pagas”.

João Pedro Matos Fernandes, atual Ministro do Ambiente, que também esteve na sessão fez questão de elogiar os feitos do PS no concelho.

“Nunca vi ninguém em funções públicas com ar tão angustiado por assumir para si um problema que era dos pacenses, os problemas da água e da ETAR de Arreigada. Vi o que ele sofreu ao longo deste tempo. Ele sofre mesmo por vós e quer o melhor para cada um de vós. E quem pensa assim é um grande Presidente de Câmara”, defendeu Matos Fernandes.

Já o Presidente da Federação do PS Porto, Manuel Pizarro, disse: “Humberto Brito é hoje uma das grandes figuras do PS e um dos mais significativos autarcas do país”.

“Controlar as contas, honrar um programa eleitoral e fazer coisas a favor da economia, da educação e da área social numa câmara que o PSD tinha deixado na penúria e na falência é impressionante”, reforçou Manuel Pizarro.

Na sessão esteve também presente Alexandra Leitão, Secretária de Estado Adjunta e da Educação, que considera que o mandato de Humberto Brito foi “um grande sucesso”.

“Lembro-me bem que um dos primeiros problemas que enfrentei foi ter em cima da secretária os avisos de corte de luz em todos os edifícios municipais, incluindo escolas, sem que o município tivesse nas diversas contas bancárias um único cêntimo para fazer face a estas despesas”, começou por recordar Humberto Brito, Presidente da Câmara Municipal e agora novamente candidato.

O autarca defendeu que hoje a autarquia “recuperou o seu bom nome”, que a questão da água foi resolvida e que mantém o propósito de impedir que “os cidadãos do concelho sejam chamados a pagar atos de gestão danosa” e uma dívida de 50 milhões de euros da PFR Invest que são da “responsabilidade de quem geriu a empresa e da banca que emprestou dinheiro quando não devia”.

Apesar da elevada taxa de desemprego encontrada, Humberto Brito realçou o trabalho realizado para a criação de um ambiente propício ao desenvolvimento económico e para a redução dos valores do desemprego em 50%.