Artigo

Eletrificação da linha do Douro avança em 2020 e vai chegar a Baião

315 Visualizações

Eletrificação da linha do Douro avança em 2020 e vai chegar a Baião

A eletrificação da linha do Douro, que inicialmente estava apenas prevista até ao Marco de Canaveses, vai mesmo avançar até à Régua. Os trabalhos deverão começar em 2020 e em 2022 passarão por Baião dois intercidades por dia.

Para Paulo Pereira, presidente da Câmara Municipal de Baião, trata-se de uma ótima notícia, uma vez que permitirá melhorar o serviço de transporte ferroviário, beneficiando o concelho, que é atravessado ao longo de vários quilómetros pela Linha do Douro.

Prevê-se ainda a renovação integral da infraestrutura, incluindo as plataformas, a incorporação de estruturas de suporte para sinalização e telecomunicações, o rebaixamento de via-férrea ou a substituição de quatro passagens superiores, assim como intervenções nas estações e apeadeiros.

O projeto, assegurado por um consórcio internacional, encontra-se na fase de estudos e análise, devendo ir a concurso no final deste ano. Já o arranque da empreitada, há muito ambicionada, deverá ter início em 2020, devendo estar terminado em 2022.

Para Paulo Pereira, que se sustenta em dados da empresa Infraestruturas de Portugal (IP), a eletrificação desta linha vai permitir duplicar a oferta de comboios regionais e intercidades entre a Régua e o Porto (cerca de 50 quilómetros), para corresponder ao aumento do número de passageiros. A redução dos tempos de ligação e uma maior comunidade são outras vantagens apontadas pelo presidente da câmara.

A intervenção, assinala o autarca socialista, beneficiará a população e a economia de Baião, um concelho ribeirinho do Douro que tem no turismo uma das suas principais apostas estratégicas de desenvolvimento.

“Este é um investimento estrutural e fundamental para a sustentabilidade turística da região. Os estudos encomendados pela Infraestruturas de Portugal apontam para um crescimento de 104% do número de passageiros/utilizadores da linha do Douro até 2051. Portanto, se atentarmos a estes números temos pela frente, nos próximos anos, grandes desafios que não podemos descurar e que vão ser absolutamente decisivos para o desenvolvimento de todo o território e de Baião em particular.”

Recorde-se que o projeto de modernização da Linha do Douro, pelo menos até à Régua, é uma reivindicação antiga dos autarcas socialistas da região.