Artigo

ÁREA METROPOLITANA DO PORTO

124 Visualizações

Depois de Hermínio Loureiro (PSD) ter renunciado, em dezembro, ao cargo de presidente da Câmara de Oliveira de Azeméis e, por inerência, da liderança da Área Metropolitana do Porto (AMP), foi recentemente eleito para a presidência do conselho metropolitano Emídio Sousa (PSD), presidente da Câmara de Santa Maria da Feira.
 
A decisão, tomada por quase unanimidade, deu assim cumprimento ao acordo firmado entre o PS e o PSD para a liderança metropolitana na sequência das eleições autárquicas de 2013, o que só vem reforçar a seriedade com que o PS assume os seus compromissos.
Numa fase da vida nacional em que o Governo Socialista dá passos firmes no sentido da descentralização, como foi o caso recente da transferência da gestão da STCP para as autarquias, o PS revela, assim, que a sua prioridade é assegurar a estabilidade da Área Metropolitana do Porto, já que seria profundamente errado que, depois de décadas de reclamação contra o centralismo, fosse agora gerado um impasse na gestão que limitasse o alcance do importante diálogo em curso com o Governo.
 
Recorde-se que, com seis autarcas eleitos, o PS é a força política que, nos municípios que lidera, representa mais eleitores – 645.355 (41,6%) contra 518.114 (33,4%) do PSD – pelo que bastaria, assim, que o PS recolhesse o apoio de uma das autarquias independentes para que reunisse mais de 50% dos eleitores e elegesse um autarca socialista para a Área Metropolitana. Todavia, e em linha com o acordo firmado em 2013, o PS honrou os seus compromissos.